terça-feira, 5 de outubro de 2010

Nossa religião é nossa fé!

O Pai Fernando de Ogum, dirigente do Terreiro Pai Maneco (conheça o site), é um homem com pouco mais de cinquenta anos de vivência no espiritismo tradicional e na umbanda. Respeitado mundo a fora e nestas terras brasileiras ele é um sujeito moderno: utiliza-se das ferramentas disponíveis no momento para mostrar, com muita sabedoria e simplicidade, o que muitos acreditam ser "enigmas" e "mistérios" desta religião 100% brasileira, nascida oficialmente no ano de 1908, mas certamente exercida há mais tempo que o descobrimento deste Brasil rico em seu povo, suas terras, suas belezas.


Ele é tão antenado no que acontece no mundo que, assim que descobriu a internet e seus benefícios, tem energias voltadas para o conhecimento via digital. Basta verificar a loucura dos números em páginas visitadas e pageviwers tanto do site, quanto do Blog do Pai Maneco (conheça o blog).


Ele diz uma coisa que, a mim, produtor cultural, é precisa: a umbanda é divulgada por meio da cultura. Afinal, os artistas, a cada dia, se envolvem de uma forma ou de outra, com nossa religião. Por um motivo: a umbanda é alegria, é música, é movimento, é amor, é sentimento. Hoje se canta a umbanda em qualquer show de música popular brasileira. São muitos os cantores que vêm, ao longo dos anos, cantando e encantando: Ronie Von, Clara Nunes, Jorge Bem, Gil, Caetano, Gal, Bethânia, Rita Ribeiro, Monobloco... a lista é interminável.


E, agora, ele está num processo sintomático da sua personalidade: tocar no coração de cada um de nós para a utilização dos meios digitais, das redes sociais, falar da umbanda. Falar de nossas vivências, muitas e maravilhosas, diárias e que nos ensinam que o caminho é através do amor. E ponto final!


Então, como sou um soldado da umbanda, um soldado da corrente de ferro e de aço do Caboclo Akuan, resolvi acatar a sugestão do nosso querido pai de santo: escrever. Escrever para tocar os corações que muitas vezes estão aflitos em busca de uma palavra que possa despertar um sorriso e o amor.


Convido a todos, umbandistas ou não, mas que tenham Deus e fé nos corações, a se juntarem a mim numa corrente pelo amor!


Obrigado, Pai Fernando, pela presença constante em minha vida.


Axé a todos e um fraterno saravá!

2 comentários:

  1. Salve, Salve Rodrigo!!! Que maravilha, a Umbanda em alta produtividade!!! Que bom, estarei por aqui sempre. Beijos Tati

    ResponderExcluir